A quantidade certa de botox

A Casa Cor é uma das principais mostras de arquitetura e design de interiores do País, reunindo, a cada ano, alguns dos principais arquitetos para criar ambientes-sonho. Esse ano, 20ª edição da mostra em Pernambuco, a campanha “Foco no essencial”  norteia os projetos. A ideia é “focar, com criatividade, no que a gente precisa para uma casa funcionar com conforto” explica Isabela Coutinho, franqueada do evento. Se “essencial” não é bem a palavra que descreve os ambientes da mostra, a criatividade e o conforto certamente estão lá.

Listei (sem ordem específica) os meus ambientes preferidos e os motivos para amar:

42 - ESPAÇO GOURMET - BRUNA LOBO, DANIELLE PAES E SORAYA CARNEIRO - Foto Rogério Maranhão
Terraço gourmet – ARQmulti

Entre os 45 ambientes, espalhados nos quase 3.000m² da casa, o conceito mais frequente é misturar moderno x clássico. Essa ideia é favorecida pelo fato de que o imóvel que abriga a mostra é do século 19. No entanto, ela foi bem executada mesmo pelos arquitetos que conservaram de verdade, em seus projetos, aspectos originais do imóvel — nas palavras do arquiteto Romero Duarte, aplicaram “botox na quantidade certa”.

Duarte diz que é preciso respeitar a história da casa e não “maquiá-la” completamente. Seu “Living principal” traduz bem essa ideia ao manter toda a estrutura original do espaço, incluindo as paredes forradas de madeira, e adicionar  “contemporaneidades” geométricas, de aspecto art déco.

08 - LIVING PRINCIPAL-ROMERO DUARTE - Foto Rogério Maranhão
Living Principal – Romero Duarte Arquitetos

Na mesma ideia, o Lavabo da Fábrica Arquitetura pensou o ambiente a partir do vitral da casa, suavizado com um “volume” cor de palha com espelho, criando uma espécie de 3D. É um ambiente simples, mas impactante por conta do vitral.

23 - LAVABO DO ANDAR - ANA MARIA FREIRE E CAMILA PEREIRA - Foto Rogério Maranhão
Lavado do andar – Fábrica Arquitetura

Numa ideia oposta, a “Suite do casal” (que é jovem, está no segundo casamento e é entusiasta de arte contemporânea), de Diogo Viana é maximalista — mas não é over — e pensado para expor a coleção de arte (contemporânea) do casal.

13 - SUÍTE DO CASAL - DIOGO VIANA - Foto Rogério Maranhão
Suíte do Casal – DV Arquitetos

Também maximalista, o arquiteto Rafael Amaral, da Amaral Tenório Arquitetos assina o Bar. Tem verde, tem teto estampado, tem parede dourada, tem rosa, tem couro, tem mármore, tem colagens, la ursas… Tem muita coisa num ambiente pequeno mas, funciona muito bem e é harmônico. “É preciso arriscar para se diferenciar”, comentou o arquiteto. Rafael admite que talvez seja over pra uma casa comum, mas diz que o projeto funciona perfeitamente num bar comercial. Vale falar que o bar funcionará de verdade durante a mostra, integrado ao restaurante.

39 - LOUNGE BAR - RAFAEL AMARAL TENÓRIO E FRAN MENEGOTTO - Foto Rogério Maranhão
Lounge Bar – Amaral Tenório + Arquitetos

Moderno na ideia, o “Quarto do bebê” feito pela Poligonus é pensado para ser um quarto sem gênero. O escritório trocou os clichês menino-menina por arte urbana, incluindo uma parede toda pintada pelo designer Pedro Melo e um neon em forma de sorvete. Um espaço muito mais “hoje” e que acompanha o crescimento da criança sem deixar de ser lúdico e infantil.

17 - QUARTO DO BEBÊ - RENATA PARAÍSO, MANOELA PIRES E THIAGO VALENÇA - Foto Rogério Maranhão
Quarto do bebê – Poligonus Arquitetura

We Arquitetos, é mais um ambiente “cheio de coisa”; o “Living da Música”foi pensado para um “colecionador de vinil, que ama rock clássico e toca guitarra”. Escolher um cliente tão específico deu muita identidade ao espaço – e isso é notável dentro do todo, já que a maioria cria para um cliente médio.

05 - LIVING DA MÚSICA - CAMILA HORTA, EDUARDA JUNGMANN E ISIS ALMEIDA - Foto Rogério Maranhão
Living da música – We Arquitetos

A Casa Cor é, de certa forma, meio surreal, dentro da realidade brasileira — claro que há quem possa ter uma casa nos padrões da mostra, mas é difícil. Entre todos os espaços, o “Refúgio de vidro”, dos arquitetos Analice e Humberto Zirpoli é, talvez, o mais surreal. O espaço é uma caixa de vidro, que seria a evolução do gazebo e é surreal também a medida em que “isola” do mundo externo, mesmo estando totalmente conectado com ele.

34 - REFÚGIO DE VIDRO - HUMBERTO E ANALICE ZIRPOLI - Foto Rogério Maranhão
Refúgio de vidro – Humberto e Analice Zirpoli

Perto do gazebo de vidro dos Zirpoli, o “Ecoworking” do escritório Porto Neves é todo pensado a partir de soluções sustentáveis. Entre elas, destaca-se o sistema de resfriamento interligado ao sistema de aquecimento da piscina. Funciona assim: O ar frio produzido ao aquecer a piscina, é levado para o coworking por uma espécie de tubulação, de forma que não precise usar energia (além da já utilizada) para resfriar o ambiente. Para melhorar, parte da energia gasta nesse processo é produzida em placas de energia solar.

33 - COWORKING SUSTENTÁVEL - ADRIANA PORTO E LUCIANA NEVES - Foto Rogério Maranhão
Coworking sustentável – Porto Neves Arquitetura

Serviço:
Casa Cor Pernambuco
Local: Av. Rui Barbosa, 471 – Graças
Quando: De 22 de setembro de 2017 a 12 de novembro de 2017
Entrada: R$40,00 (inteira), R$20,00 (meia), R$30,00 (arquitetos) e R$130,00 (passaporte VIP)

Créditos das fotos: Rogério Maranhão/ Divulgação

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s