Mona Migs

13782196_256261261426254_7367134241247280733_n

O que você faria se fosse expulso de casa só por ser LBGT? Eu iria pra casa de algum amigo por uns tempos até saber o que fazer. Mas, e se seus amigos não tivessem como te receber ou te virassem as costas? Pois é, eu também não faria ideia do que fazer.

Infelizmente, essa é a realidade de muitos LGBTs. Só nos Estados Unidos, 40% de todos os sem-teto são adolescentes gays. No Brasil, 75% dos LGBTs tem medo de serem expulsos de casa, se os pais descobrirem sua sexualidade e 60% conhece alguém que foi expulso de casa pelo mesmo motivo.

Pensando nisso, alunos da UFPE criaram o Mona Migs, plataforma que conecta LGBTs expulsos de casa a pessoas disponíveis em abrigá-las temporariamente. “Durante a Startup Weekend UFPE, evento onde devemos analisar um problema e buscar uma solução para ele, eu e um grupo de amigos lembramos de um caso que tinha acontecido umas semanas antes, onde um garoto havia sido expulso de casa por ser gay e vários colegas se juntaram para encontrar um lugar pra ele ficar. A partir daí, pensamos em como teria sido melhor se houvesse uma plataforma que ele poderia pedir ajuda”, conta Pedro Magalhães, co-criador da plataforma.

Pedro explica que “quando uma pessoa pede ajuda por ter sido expulsa, inicia-se uma busca pelas pessoas cadastradas próximas a ela; passamos os contatos e elas combinam tudo como preferirem. Quando alguém se cadastra como acolhedor, após preencher os dados essenciais, ela passa por um processo de triagem dos dados, como de ficha criminal.” Desde que foi lançada, a plataforma – em sua versão beta – já conta com mais de 800 pessoas dispostas a oferecer abrigo e já conectou mais de 10 pessoas em todo o país.

Sobre o tempo necessário para conectar as partes, Pedro fala que “Como o processo atual de conexão é manual, feito pelos membros da equipe, ele pode durar tanto alguns minutos, quanto cerca de um dia – em cidades mais afastadas, é mais difícil encontrar acolhedores. Com a plataforma pronta, a conexão será quase que instantânea.”

Para oferecer abrigo, basta se cadastrar na plataforma, “Bom convívio, compreensão e suporte são essenciais nessa situação. A pessoa que foi expulsa está fragilizada e precisando de uma mão amiga, enquanto a pessoa que acolhe, está cedendo sua casa, logo, as regras impostas por ela, precisam ser seguidas. Regras como o tempo de “estadia”, o acolhedor diz no momento do cadastro, que pode variar de só uma noite ou até a pessoa se estabilizar.”

Saiba mais:

http://www.monamigs.co/

https://www.facebook.com/MonaMigs/?fref=ts

rsz_1monamigs

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s